terça-feira, 26 de agosto de 2008

Um Pouco mais de Paciência

"... Eu finjo ter paciência,
o mundo vai girando cada vez mais veloz, a gente espera do mundo, e ele espera de nós, um pouco mais de paciência..."

(Lenine)

Outro dia desses, comecei a me questionar sobre aquela história que "tudo tem sua hora certa". Não, longe de mim de duvidar da veracidade que se encontra nesta frase. O que questiono aqui, é porque muitos de nós, não sabemos lidar com ela, não sabemos esperar.

A começar por mim, ansiosa por natureza, movida pela impulsividade e não muito bem resolvida. Por mais que eu saiba que tem hora pra tudo nessa vida, tem certas coisas que nos dá a impressão que nunca vão sair do canto. Minha vida amorosa por exemplo, talvez por insegurança, talvez pelas experiências, por ser complicada mesmo, ou por pensar diferente de muitos que só querem ficar, não sei, mas ela parece nunca decolar. Com meus vinte e pouquinho reconheço, ainda tenho que comer muito arroz com feijão para saber lidar com este assunto, de esperar.

Tem horas que é complicado, o tempo só passa, e ter que aguardar "a hora certa" quando a solidão aperta, ou quando a sociedade começa a encher o saco, não é nada fácil. Quantas vezes me sinto a pior das criaturas quando vejo amigas próximas conseguirem namoros que duram anos, acabam, e logo em seguida engatam outro, e eu aqui sozinha. Quantas vezes tenho que me esforçar para dar uma resposta simpática para aquele povo desocupado que insiste em cobrar, "cadê o namorado"? Cada vez mais me convenço, existe uma Bridget Jones dentro de mim, que já não aguenta curtir fossa com aquelas músicas que já escutou mil vezes. Que acha, e às vezes até quer duvidar, que vai encontrar a tal da tampa da panela que tanto falam.

Confesso que não queria sonhar e depender tanto de uma relação amorosa, verdadeira, achando que isso vai tornar minha vida mais feliz. Sei que tenho outras coisas importantes para dar conta, como trabalho, faculdade, família, amigos. Sei que o amor não tem hora para pintar, ele simplesmente acontece quando menos esperamos, assim como tudo na vida. Mas estou cansada de ter a solidão como companhia, de não ter alguém especial do lado para dividir minhas coisas.

" ... Eu finjo ter calma, a solidão me apressa..."

(Ana Carolina)

Tempo, tempo, tempo, quanto mais tenho que esperar para ele me provar que ele tarda, mas não falha. Que toda esta demora de colocar alguém no meu caminho, é para que ele possa me fazer feliz. Não sei se falta muito, espero que não, mas tenho fé que Papai do Céu, não vai me deixar na mão. Somos inquietos demais diante das nossas expectativas de cada dia, isso é fato. O que nos resta por enquanto, é tirar a paciência do bolso e usá-la um pouco. Sei que não é fácil, mas juro que vou continuar tentando, e você?

Beijos meus caros, e desculpem pelo sumiço!!!