quinta-feira, 9 de julho de 2009

Mundo virtual x Mundo Real

Sem sombras de dúvidas uma das coisas mais legais de se fazer na internet é bater papo com as pessoas. Hoje, graças ao avanço da tecnologia, conhecer gente nova, se comunicar com amigos, familiares, tornou-se um passatempo fácil, ágil, e bastante divertido.

Neste ponto, quem sou eu para negar? A internet facilitou, e muito, a maneira de nos comunicarmos. Conversamos com quem está do outro lado do mundo, independente de onde estivermos. Nos relacionamos, ficamos amigos, e até namoramos, com gente que nem sequer conhecemos pessoalmente, e sabe lá Deus se vamos ver algum dia. Ficamos sabendo mais da vida daquele carinha interessante, que nunca teríamos coragem de perguntar pessoalmente.

Quando estamos conectados no tal "mundo virtual" , interagindo com o mundo, tudo parece ser mais bem prático e prazeroso. E aí, meus caros, é que as coisas começam a escapar da nossa realidade, e todo encanto do princípio é perdido. A internet ao mesmo tempo que facilita nossa vida, também complica um tanto quanto. Fingimos ser o que não somos. Deixamos de lado nossa realidade, por comodidade, por medo de sofrer, de se iludir, de arriscar, de viver. É tudo assim, meio superficial, nada convencional.

A empolgação é tentadora. Nos parece tão real, que esquecemos que temos uma vida de verdade, nos esperando para ser aproveitada. O mundo virtual é inovador, é moderno, é interessante. Mas nada além disso. Não podemos nos deixar se seduzir por ele, como acontece tão frequentemente. A impressão que fica é que ele nos serve como "uma máscara", da qual, cada um escolhe a que lhe convém, a que mais te agrada e pronto. Na verdade, de verdade mesmo, no universo virtual, não tem lá muita coisa. A gente se engana toda hora.

O orkut para começar bem, não sou, nem quero ser hipócrita, acho um barato. Mas podem observar daí. A maioria das pessoas escolhem suas fotos mais descoladas para não ficarem feias na fita, quer dizer, no perfil , que fique bem claro. As comunidades precisam ser da hora, pouco importando se aquilo condiz, ou não com a realidade de cada um, afinal de contas, o importante é ser popular. E claro, óbvio, como não poderia ficar de fora, os amigos. Nossa! Desde que você decida a participar de um perfil na rede, você precisa se acostumar, vai se deparar com tantos amigos querendo te adicionar, que vai te causar espanto.

No msn também a coisa não é muito diferente. Ninguém é tímido. Toda menina é "linda". Todo mundo é gente boa e diz a verdade, pelo menos até que se prove o contrário. O nick tem que deixar claro o que fizemos, ou que vamos fazer nos finais de semana. O olho no olho, aquele friozinho gostoso na hora da paquera, vai ser trocado por aquele xaveco pronto, instântaneo, que certamente aparecerá breve piscando na sua janelinha. O telefone, pra quê pedir mais? Com msn tudo se resolve, ora. Ou quase tudo. Mas enfim.

Fico observando estas bizarrices e acho engraçado. Utilizo msn, orkut e tantos outros recursos para me comunicar com pessoas. Mas reconheço, que com toda esta modernidade, vamos perdendo coisas importantes. Por mais que seja legal, nos distraia, nada disso vai substituir, ou se comparar com nossa vidinha real de cada dia. Somos o que somos, não devemos passar uma imagem diferente nossa para agradar quem quer que seja, principalmente a nós mesmos. Nossas fotos no orkut, no my space , ou seja lá de onde for, não precisam ser adaptadas aos photoshops. Não precisamos. Não podemos ser modelos, ou bancar de perfeitos. Como bem sabemos, somos imperfeitos, e isso não nos fará pessoas infelizes.

Bater papo com "A", "B", ou "C" é bom, todo mundo gosta, a começar por mim. Mas um abraço, um sorriso, um beijo, um cheiro, o mundo virtual ainda está longe de nos permitir. Sair com os amigos. Contemplar estrelas no céu. Se lambuzar tomando sorvete num dia ensolarado. Sentir o vento batendo no rosto. Observar as ondas do mar. Entrar naquele joguinho interessante da paquera. Ser beijada de surpresa no dia em que você menos esperava. Ouvir um "Eu te amo"da boca de uma pessoa que é importante para nós. Desculpem, mas não tem o mesmo valor. Não. Nada disso pode ser sentido, com a internet nossa de cada dia, tenham certeza disso. Aproveitemos mais a tecnologia, como tecnologia. E vivamos nossa realidade, é ela que faz toda a diferença.

Beijinhos pessoas!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Michael, o astro que não queria crescer !!!

Juro que quando ensaiei algumas linhas tentei ao máximo não tocar no assunto da morte de Michael Jackson. Esse, além de ter nos chocado profundamente, já vem sendo abordado bastante pela mídia de todo mundo. Não queria ser repetitiva e ficar batendo aqui na mesma tecla. Não queria. Mas o triste caso tem rendido tanta especulação, e tantas histórias delicadas que acabaram por despertar minha atenção.

Nunca fui fã do Michael, assumo. Mas ver o cara morrer tão novo, assim repentinamente, da maneira que foi, me deixou triste. Sua importância na música mundial é indiscutível, ele fez história, abriu as portas para muito artistas, fez demais pela música pop, vendeu infinidades de discos, e conquistou uma legião de fãs . Ah, sem deixar de lado, claro, todas as esquisitices e polêmicas, em que ele se meteu, que como sabemos bem, não foram poucas, mas whatever.

Acompanhando notícias sobre a vida do astro pop, que agora vem à tona, comecei a me questionar as razões para que ele se comportasse de uma maneira bizarra e problemática,tendo ele aparentemente tudo na vida. Mas só agora depois dele ter saído de cena, a gente entende um pouco que o "tudo", não tinha nada de tudo, faltava algo maior e mais importante a se buscar.

As atitudes infantis do Michael são meras consequências de problemas que ele teve quando criança.Como sabemos, ele sofreu graças a pressão de seus pais que o obrigava a cantar, perdeu boa parte de sua infância, e ainda tinha muita dificuldade de se aceitar como era. Apesar de toda fama, dinheiro conquistado, dos fãs espalhados no mundo, infelizmente o cara não era uma pessoa feliz. Faltava a ele a companhia da família, a infância que foi interrompida pela responsabilidades profissionais desde cedo, que agora ele tentava resgatá-la à todo custo, e a falta de aceitação consigo mesmo, que o acompanhou juntamente com a série de cirurgias plásticas ao longo de sua carreira.

Daí a gente pensa, até aonde a fama traz felicidade? O Michael, apesar de ter sido dono de um talento ímpar e de um sucesso estrondoso, passou a vida lutando contra seus próprios traumas. Nem sempre as coisas parecem ser tão glamurosas quanto parecem, por trás do cantor que parecia deslizar na lua,com seus passos de dança brilhantes, se escondia um homem que tinha fragilidades, e que insistia em se fechar no seu mundinho infantil, na tentativa de ser feliz.

Mas nos fica a pergunta, será que a fama é realmente tudo? Não sei, estou longe de saber, só sei que o ídolo pop saiu de cena, e apesar de ter levado uma vida conturbada, ter sofrido um alto preço por ser famoso por não saber lidar com isso, nos deixou sua música e carisma, que certamente reinará para sempre em nossos corações.


Bjos meus caros!