terça-feira, 22 de junho de 2010

Do doce, só me restou a saudade!



" Eu e você, podia ser
Mas o vento mudou a direção
Eu e você e esta canção
Pra dizer adeus ao nosso coração."
(Isabella Taviani)

Em plena tarde de terça-feira e eu , aqui em casa,  tentando procurar a companhia de palavras para me servir de consolo. Palavras para suprir a falta que anda me fazendo. Tentando calar cada vestígio que tenha ficado de um doce sentimento que instalou-se calmamente, me deu forças, e que agora me vejo obrigada a silenciá-lo, mesmo ele ainda pulsando dentro do meu peito.

Tudo que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível, como já disse alguém. Não pretendo duvidar. Cada momento que passei durante este tempo foram curtidos, vividos, sentidos. Mas o que realmente dói é saber que me fez tão bem, e que agora acabou , assim,  sem nem eu dar por mim. De uma hora para outra, algo se perde no meio do caminho, as diferenças falam mais alto sem nem dar tempo você piscar, e quando você vê, está mais uma vez, quebrando a cara. Não tem doutorado em desilusões  que explique isso, aconteceu. Acontece. E mais uma vez a gente se engana. A gente sofre.

 
De repente a presença passa a ser ausência. O telefone já não toca mais. As mensagens diárias no celular ficam só na vontade. Os dias se tornam mais compridos. O porta-retrato na estante tem que ser retirado. O afeto confortante cede lugar ao silêncio. A gente tenta se ocupar como pode, e o coração não sossega porque as lembranças estão ali vivas na sua frente. Talvez mais presentes do que nunca.

O que incomoda é a saudade. É a certeza do nunca mais. É ter que chamar do dia pra noite ,de amigo, a quem alguns dias atrás tava chamando de amor. É saber que não poderemos desfrutar mais das conversas diárias,  dos abraços, dos beijos, dos carinhos que pouco a pouco nos conquistam. É ter que bancar a forte para não parecer a frágil. É tentar esconder as lágrimas que surgem do nada, dos nossos olhos. Não é nada fácil.

Quem sabe não foi melhor assim? Talvez eu não fosse a pessoa certa pra ele, nem ele pra mim. Talvez não conseguimos ser adultos suficientes para contornar as dificuldades. Talvez ele não me merecesse. Talvez tenha sido apenas uma paixão. Talvez não tenhamos nos encontrado na hora certa. Talvez...

As respostas para tantas perguntas, quem sabe algum dia saberemos.Ou não. Mas por enquanto elas vão servindo como conforto.  Não queria abusar destas palavras tão amargas, é chato, é cansativo, é entediante. Mas não vejo outra saída, tenho que gritar. Quem já sentiu algo por alguém e que por alguma razão, teve de deixá-lo ir, entenderá cada palavra que ,aqui meio perdida, escrevo. É triste, chega a sufocar.  Sei que uma hora há de passar,  e vai passar. Mas a impressão que nos dá é que nunca vai cicatrizar. A dor passa, mas as marcas, essas nos acompanharão para sempre. Não me arrependo, foi eterno enquanto durou, e sim, mesmo durando tão pouco, me deu felicidade. Mas do colorido, do afeto, do doce, agora só me restou a saudade!  Só cabe ao tempo colaborar comigo, ser meu amigo, e fazer com que cure esta ferida que ainda queima dentro de mim.





Ao som de " It is what it is" (Lifehouse) 



5 comentários:

Natália Ferreira disse...

durar o tempo nescessario , para ser inesquecivel ; eusoube disso no primeiro dia ; ele poderia ter ido embora eu saberia que ele era inequecivel ; por apenas um dia por um unico dia , um beijo ( desculpa o desabafo mas sua postagem me lembrou alguem )

Lidianne Andrade disse...

falou a menina ai em cima mto bem! tudo passa e tudo é aprendizado!

JOY disse...

Olá querida, quanto tempo não passo por aqui, estou devendo aqueeela visitinha para me atualiza no "verso sem rima", né? Mas aparecerei mais vezes!

Belo texto!

Quero aproveitar e divulgar também uma promoção super legal que a revista onde trabalho está fazendo, participe se quiser. Mas você ganha fácil!

Promoção da revista 7dias Com você

Quer ganhar ingressos para o cinema?
Então responda:

O que você seria capaz de fazer pra viver uma linda história de amor? Sua resposta vale 1 par de ingressos para ver Eclipse. Participe!

Ou

Para o Filme: ‘Cartas para Julieta’. Conte-nos quem merece receber uma carta especial sua e ganhe um kit do filme, com direito a 1 par de ingressos!

Os 10 primeiros nomes serão sorteados. Participe Já. Envie sua resposta para joycebarreto@escala.com.br


CORRE QUE DA TEMPO!

MandyD disse...

Que texto lindo e triste! A cada linha que eu ia lendo ia concordando com a cabeça, me lembrando de coisas do passado... Muito bem escrito :)
Aah.. e obrigada pelo comentário!
Um abraço!

Fábio Granville disse...

Adorei seu blog e suas histórias!
Parabéns!
Voltarei mais vezes!

Visite o meu tb: http://omeusonhodeserfeliz.blogspot.com/

Beijo!